Notícias

Ajustar fotossíntese aumenta rendimento

09/01/2019

agro 1Melhorar o rendimento das culturas para cultivar mais alimentos em menos terra não é um novo desafio, mas à medida que a população global cresce e as dietas mudam, a questão está se tornando mais urgente. De acordo com os pesquisadores da área, parece provável que teremos que aumentar a produção de alimentos entre 25% e 70% até 2050 para ter uma oferta adequada de alimentos.

Segundo pesquisadores do Realizing Increased Photosynthetic Efficiency (RIPE), pode levar décadas para que as inovações agrícolas, como as sementes melhoradas, atinjam os campos dos produtores, sejam eles criados por meio de abordagens genéticas ou de reprodução tradicional. As variedades de culturas de alto rendimento que foram criadas durante a primeira revolução verde ajudaram a evitar a escassez de alimentos na década de 1960, aumentando a proporção de biomassa do grão.

“Estamos impulsionando as colheitas aumentando a eficiência da fotossíntese – o processo movido a energia solar que as plantas usam para transformar dióxido de carbono e água em maiores colheitas. Em nossa publicação mais recente, mostramos uma maneira de aumentar o rendimento da safra em até 40% ao redirecionar uma série de reações químicas comuns à maioria das nossas principais culturas alimentares”, dizem os pesquisadores.

Dois terços das calorias que consumimos em todo o mundo vêm direta ou indiretamente de apenas quatro culturas: arroz, trigo, soja e milho. Destes, os três primeiros são prejudicados por uma falha fotossintética. Normalmente, a enzima que captura dióxido de carbono da atmosfera, chamada Rubisco, converte dióxido de carbono em açúcar e energia.